Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > 08 > Ministério da Economia reduz despesas para manter funcionamento de sistemas essenciais

Economia

Ministério da Economia reduz despesas para manter funcionamento de sistemas essenciais

Corte de gastos

Entre as medidas estão, ainda, remanejamento de recursos entre os órgãos e suspensão de novas contratações
por publicado: 22/08/2019 15h46 última modificação: 22/08/2019 20h02

O Ministério da Economia publicou nesta quinta-feira (22/8) a Portaria nº 424/2019, com medidas de racionalização de gastos e redução de despesas em 2019 no âmbito do próprio ministério, autarquias e fundações vinculadas. O objetivo é garantir o funcionamento dos sistemas essenciais do governo federal sob a gestão do órgão, preservar os serviços de fiscalização e arrecadação e manter a folha de pagamento dos beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Precisamos assegurar os serviços essenciais que o Ministério da Economia presta ao cidadão. Estamos cortando gastos para focar os recursos naquilo que cidadão precisa e para que possamos chegar até o final do ano”, declarou o secretário-executivo do Ministério, Marcelo Pacheco dos Guaranys, ao explicar as medidas.

Guaranys declarou ainda que haverá um trabalho contínuo de monitoramento das receitas por parte da equipe técnica de orçamento e que, à medida que governo arrecade mais, será possível avaliar a liberação de novos limites.

As medidas permitirão economia de R$ 366 milhões com a suspensão e a redução de gastos. Adiciona-se a esse esforço o remanejamento de R$ 1,8 bilhão no âmbito do ministério, autarquias e fundações vinculadas, totalizando R$ 2,16 bilhões para priorização das despesas.

Pilares

A secretária de Gestão Corporativa, Danielle Calazans, ressaltou que contingenciamento do Ministério da Economia atingiu 34,86% em 2019 e que a portaria e o remanejamento dos recursos vão privilegiar a manutenção desses sistemas.

A portaria tem três grandes pilares: remanejamento de limites entre os órgãos do Ministério da Economia; suspensão de novas contratações; e redução de despesas

Medidas de suspensão

Estão suspensas novas contratações como serviços de consultoria; treinamento e capacitação de servidores; mão de obra terceirizada; aquisição de bens e mobiliário; obras; diárias e passagens internacionais; insumos e máquinas de café; e serviços de telefonia móvel e pacotes de dados.

Estão fora as contratações essenciais à segurança, à saúde e à acessibilidade das pessoas e dos imóveis e às despesas financiadas com recursos de doações, convênios e acordos em geral e para a área de fiscalização.

Medidas de redução

O Ministério determinou a redução de contratos vigentes de locação de imóveis, de veículos e máquinas e equipamentos; do horário de funcionamento de órgãos integrantes da estrutura da Economia, preservando-se os serviços essenciais e de atendimento ao público e funcionamento de gabinetes; da remoções de servidores, no interesse da administração, que impliquem pagamento de ajuda de custo (salvo em casos de extinção ou reestruturação de unidade administrativa); e otimização da ocupação dos espaços físicos.

Cortes propostos pela portaria 424/2019

Cortes propostos na portaria
Redução dos valores de despesas a ocorrer até 31/12/2019


22/08/209 - Coletiva sobre medidas de redução de despesas


Multimídia