Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > 09 > Governo estuda fazer permuta com iniciativa privada para reduzir gastos com aluguel

Economia

Governo estuda fazer permuta com iniciativa privada para reduzir gastos com aluguel

PATRIMÔNIO DA UNIÃO

SPU pretende receber imóveis que possam ser ocupados pelos órgãos e, ao mesmo tempo, induzir a geração de emprego
por publicado: 10/09/2019 15h00 última modificação: 10/09/2019 18h24

O governo federal estuda realizar permutas de terrenos e prédios da União com imóveis de propriedade de agentes privados situados em áreas urbanas e que possam ser utilizados por órgãos públicos.

A ideia é ceder áreas ou prédios da União que estejam fora de uso, sem gerar qualquer benefício, e receber em troca prédios e salas que possam ser utilizados pelos órgãos. O resultado seria a redução de uma despesa considerável que a administração tem hoje: o gasto com o pagamento de aluguéis.

Segundo o titular da Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União do Ministério da Economia (SPU/ME), Fernando Bispo, a medida tem mão dupla, uma vez que representa também uma boa oportunidade de negócio para os empresários.

“Queremos criar uma cesta onde o empresário escolhe. Será uma troca de ativos. Mas que você possa pegar esse ativo como pagamento e desenvolver um novo negócio”, declarou, em almoço-debate promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais de Brasília (Lide).

O secretário afirmou, ainda, que a parceria entre o governo e a iniciativa privada é essencial para o desenvolvimento do país: “Ninguém é mais competente para desenvolver esses ativos do que o mercado imobiliário. Temos mais do que um negócio, mais do que uma questão comercial. Temos uma grande oportunidade para transformar o nosso país e gerar emprego. Isso é desenvolver o Brasil”, disse.

Alienação

Bispo também informou que a SPU/ME deverá colocar R$ 1 bilhão de imóveis à venda ainda neste ano. Até 2022, serão colocados para alienação mais de 3.700 ativos e a expectativa de arrecadação é de R$ 36 bilhões. 

“Precisamos criar uma esteira do desinvestimento. Precisamos dar destino a esses imóveis, acabar com o abandono. Para isso, vamos dispor no site da SPU todos os imóveis que temos conhecimento que podem ser alienados e à medida que tiverem interessados por esses imóveis, passaremos a trabalhar nele para desenvolvimento da venda”, finalizou.