Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2019 > 10 > Secretário de produtividade apresenta medidas para incrementar negócios no setor de máquinas

Economia

Secretário de produtividade apresenta medidas para incrementar negócios no setor de máquinas

Competitividade

Em evento na Abimaq, Carlos da Costa destacou ações que visam melhorar a posição do país nos rankings mundiais
por publicado: 01/10/2019 06h40 última modificação: 01/10/2019 09h41

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, apresentou nesta segunda-feira (30/9) um conjunto de medidas adotadas pelo governo para melhorar o ambiente de negócios no setor de máquinas e equipamentos no Brasil.

“Estamos trabalhando para recuperar a economia e a retomada do crescimento do emprego, por meio de melhorias no ambiente de negócios no país”, ressaltou o secretário, ao participar do 5º Congresso Brasileiro da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), em São Paulo.

Entres as medidas apresentadas estão a criação de um canal direto para comunicação com o setor privado, por meio do Programa Mobiliza Brasil, que já passou por seis estados brasileiros; ações para simplificar o cotidiano das empresas, como a simplificação do eSocial e da Norma Regulamentadora (NR -12); e a implementação do decreto da Estratégia Nacional de Qualificação.

O secretário também destacou algumas metas do governo que visam melhorar a posição do país nas classificações mundiais, baseadas em indicadores globais de desenvolvimento.

“O Brasil está em 109º lugar no ranking do Doing Business”, pontuou Da Costa. “A meta é chegar ao 50º em 2022. E no Global Competitiveness, queremos subir da 72ª para 50ª posição”, completou, se referindo ao ranking anual publicado pelo Fórum Econômico Mundial. 

Segundo ele, a missão da secretaria reflete uma nova visão da economia brasileira: “A de viabilizar o aumento da produtividade, competitividade e emprego, por meio da livre iniciativa, do mercado concorrencial, do capital humano, e da modernização das empresas brasileiras”, afirmou Carlos da Costa.